Tags

, , , , , , , ,

Há alguns dias você leu aqui no Canal TDZ um post sobre a tendência dos sofás com chaise, que há alguns anos formam uma ‘dobradinha’ prá lá de charmosa e confortável. Na ocasião, prometemos esclarecer a diferença entre chaises longue, divãs e récamiers. Afinal quem nunca confundiu essas três peças de mobiliário tão semelhantes?

Por isso, não se sinta ignorante por não saber como diferenciá-las. Você certamente não está sozinho. Muita gente que não está familiarizada com o universo da decoração não sabe distinguir uma chaise longue, de um divã ou  récamier. Outros acreditam que são três nomes diferentes para designar a mesma peça, o que não é verdade. Para acabar de vez com qualquer dúvida vamos definir e ilustrar cada uma das peças. Confira a seguir:

Chaise longue – Embora muitas pessoas associem a imagem da chaise longue a um sofá que tem assentos nos quais é possível recostar e esticar as pernas, esse é um conceito moderno e, digamos, adaptado.

Chaise Longue em estilo Victoriano

Na verdade, a chaise longue, também conhecida como daybed ou lounge chair funciona como uma cadeira de descanso e, em alguns casos, como uma espreguiçadeira. Tem encosto e, comumente, um braço bem alongado no comprimento que serve como sustentação para que a pessoa, reclinada, não caia de costas.

Nessa cadeira alongada, o corpo fica reclinado e as pernas estendidas. Geralmente é estofada, para maior conforto. Atualmente, contudo, pode ser encontrada em integrada aos sofás em uma grande variedade de materiais e acabamentos.

Divã – Bem antes de Freud começar seus estudos sobre psicanálise e a mente humana, o divã já existia. Mas a peça ficou bastante famosa por estar associada aos consultórios de psicanálise.

Por definição, o divã seria um sofá sem encosto, mas essa definição gera muita
controvérsia, especialmente, pelo fato de que sofás têm braços e o divã, em tese,  não tem.

Divã/ReproduçãoO conceito mais clássico e usual de divã está associado à criação do arquiteto franco-suíço Le Corbusier

De um modo geral, você encontrará essa peça com um dos lados mais elevado em relação ao outro, para que a cabeça fique mais alta em relação ao corpo. Mas é possível também que tenha as duas extremidades mais elevadas, para que a cabeça e os pés fiquem bem confortáveis enquanto o corpo permanece repousado ao centro.

Récamier – Já o récamier é o mais fácil de distinguir. Trata-se de um tipo de divã, mas com cabeceira mais alta e suavemente curvada. De forma mais contemporânea, récamier acabou sendo o termo usado para designar qualquer banco sem encosto e com braços em ambas as extremidades. (Fonte: Cores da Casa)

Récamier/ReproduçãoMuitos acreditam que o nome desta peça está associado ao quadro de Madame Juliette Récamier, uma socialite francesa muito famosa

Anúncios