Tags

, , , , , , ,

Utilizar cores em todos os ambientes da casa, dos móveis à pintura das paredes, é uma forte tendência de decoração, mas é importante tomar cuidado para não deixar o ambiente muito carregado e saber utilizar as tonalidades para trazer boas emoções, tranquilidade e ótimas energias.

“O importante mesmo é saber que tipo de sensações se quer transmitir”, diz a arquiteta Vanessa Trad. A profissional recomenda utilizar uma coloração diferente para cada ambiente – o branco, por exemplo, que é muito utilizado em cozinhas, tende a dar um ar mais clean, transmitindo calma, mas caso não seja bem utilizado, pode também passar a ideia de frieza e impessoalidade. Para aqueles que querem dar uma cor a mais na sua cozinha e fugir do branco, uma boa dica é o laranja, que tende a estimular o apetite, além de ajudar na criatividade e na comunicação.

Para os quartos infantis, Vanessa indica as cores pastéis, como o verde claro, que tende transmitir equilíbrio e saúde, ou mesmo o azul claro, que remete a serenidade. Para as meninas, o rosa pastel, que estimula emoções positivas. “A cor pode ser um artifício ótimo para reforçar as energias positivas, quando usadas de forma correta, ou provocar uma real diminuição energética, causando irritação e perturbação quando mal empregadas”, esclarece ela.

Reprodução
Uma das cores que se deve tomar cuidado é o vermelho, pois, como se trata de um tom muito vibrante, é perigoso quando utilizado em excesso, ou até mesmo em um ambiente inapropriado pode causar excitação e nervosismo, mas se utilizado com parcimônia, também pode ser muito positivo, já que o vermelho ativa as áreas da autoestima e da prosperidade. “De um modo geral, nos projetos de arquitetura e decoração, buscamos energizar positivamente os ambientes com as cores, de modo a fazer com que o dia a dia de quem vive ou mora ali seja mais calmo, próspero e saudável”, explica a arquiteta.

Para quem não quer se arriscar muito nas misturas de tons, mas quer inovar sem riscos de carregar o ambiente, é interessante utilizar cores neutras para as paredes e móveis, como por exemplo, o marrom, e apenas alguns objetos mais coloridos, que podem dar vida ao ambiente, deixando-o com um novo aspecto. Os adesivos e os papéis de parede, que são tendências atuais, quadros e molduras, também podem trazer cores discretas aos lugares.

“É importante primeiramente definir o perfil e hábitos da pessoa que irá habitar aquele ambiente, independente de ser jovem, idoso, bebê ou adulto”, orienta a arquiteta. Belas cores e um ambiente agradável podem modificar o espírito e o ânimo dos moradores de uma residência.

Anúncios